História dos tornos de bancada

A história dos tornos de bancada

A criação de uma ferramenta imprescindível.

Perde-se na memória dos tempos quem teve a ideia de sujeitar objetos de maneira firme, para que não se movessem ao serrar, limar ou furar. É surpreendente como decorridos séculos, na era da informática, o torno de bancada conserva o seu grande valor como ferramenta meramente mecânica e se torna imprescindível em qualquer oficina repleta de dispositivos eletrónicos.

Um passo decisivo na evolução desta ferramenta de sujeição até chegar à sua forma atual aperfeiçoada foi a substituição da técnica de aperto por cunha e martelo pela de rosca e alavanca, inventada na idade média. A desvantagem: O mordente móvel era radial em relação ao mordente fixo, pelo que os objetos amarrados se descentravam.     
Só a invenção do torno de bancada paralelo por volta de 1750, em que o mordente móvel é guiado por um carro horizontal, veio abrir caminho a uma utilização ideal.   
  
Em 1830 foi fabricado em Inglaterra o primeiro torno de bancada de ferro fundido. Como é sabido, o ferro fundido permite fabricar objetos com qualquer forma. Mas este procedimento tem o inconveniente de, no interior da peça fundida, poderem produzir-se aquilo a que se chama poros. Após arrefecer, a microestrutura fica porosa e quebradiça. Consequência: Resistência insuficiente, que pode originar a rotura em caso de cargas fortes. Por isso hoje em dia as peças de segurança - por exemplo, no caso da indústria automóvel - e também as destinadas a tornos de bancada de alta qualidade indestrutíveis, são produzidas em aço forjado. Durante a forja, a microestrutura do aço fica homogénea. A partir da introdução de martelos-pilão com grande massa em queda e do uso de matrizes de pequena tolerância, também ficou resolvido o problema da deformação dimensional.

O nascimento do torno de bancada HEUER

Quando o inventor Josef Heuer, natural de Iserlohn, desenvolveu em 1925 um novo desenho de torno de bancada forjado com a revolucionária guia prismática dupla, a empresa Brockhaus em Plettenberg, na região de Sauerland, era já uma das maiores oficinas de forja da Alemanha. Com clarividência, a Brockhaus apercebeu-se da importância do invento e em 1927 adquiriu a patente, iniciando o fabrico deste torno de bancadas. Esta foi a hora em que nasceu o torno de bancada HEUER, mundialmente conhecido e comprovado.

O arranque bem-sucedido e o desenvolvimento coroado de êxito
  
A crónica informava que: "No mesmo ano e com grande esforço, foi possível expor o novo torno de bancada na feira de outono de Leipzig, obtendo de imediato encomendas dignas de menção." Não era de admirar, pois o torno de bancada "HEUER - PRIMUS" todo em aço forjado fazia jus ao nome de melhor da sua classe. Este êxito não deixou os técnicos da Brockhaus descansar sobre os louros. Com base em experiências práticas, desenvolveram também o HEUER-PRIMUS, cujo mordente móvel se abria para trás, um novo modelo que se abria para a frente, isto é, em direção ao operário. Isto tornava possível a sujeição de objetos grandes em sentido vertical, ou seja, diante da bancada de trabalho. Este modelo foi, por isso, batizado com o nome de HEUER FRONT. Até ao final dos anos 30 do século passado, introduziram-se outros melhoramentos no manuseamento e ampliou-se a versatilidade do HEUER FRONT. Neste contexto, a aplicação da rosca trapezoidal de dois passos para uma fixação forte, precisa e rápida e a incorporação das garras para tubos deram ao torno possibilidades de utilização adicionais. Os tornos de bancada especiais para tubos ficaram praticamente obsoletos.

O caminho para a ferramenta perfeita

Após a Segunda Guerra Mundial, a Brockhaus reiniciou a produção com renovada energia. Na fase da reconstrução da Alemanha, os tornos de bancada tinham mais procura do que nunca. Entre outras coisas, a sigla de qualidade "Made in Germany" para produtos técnicos alemães, voltou a ter êxito em mercados de exportação de todo o mundo. A propósito de "Made in Germany": Desde há mais de 80 anos os tornos de bancada HEUER fabricam-se única e exclusivamente na Alemanha.  
Métodos de fabrico inovadores, especialmente na tecnologia de forja e soldadura, não deixaram descansar o inventor Josef Heuer, até desenvolver um novo modelo, para o qual obteve em 1948 outra nova patente de invenção. O conceito base do atual Torno de bancada HEUER assenta nessa patente.  
  
Paralelamente à otimização dos métodos de fabrico, os técnicos da Brockhaus continuavam a trabalhar nos melhoramentos de modelo, fieis ao princípio: Pequenas causas produzem grandes efeitos. Utilizando-se disco de pressão, mola e anilha de segurança, melhorou-se o mancal do fuso, tendo-se assim eliminado a marcha em vazio.

Atualmente, o torno de bancada HEUER possui uma guia de reajuste cêntrico, garras para tubos incorporadas de série, um mancal de fuso de precisão encapsulado e uma ampla profundidade de fixação - uma vantajosa opção graças ao seu formato estreito.