Testemunhos de clientes

Com amor e gosto pela perfeição

Agradeço muito reconhecido a reparação gratuita do Heuer-Primus, já com décadas, que recebi de volta como novo! Consigo imaginar a dedicação que prestaram ao vosso produto tradicional - realmente com amor e gosto perfeição. Vou honrar esta boa peça e elogiar devidamente a vossa empresa e os vossos produtos!

Uma vez mais, um grande obrigado pela extraordinária dedicação!
K. Linhard

Assistência e amor ao produto

Graças à minha atividade profissional, tive o prazer de experimentar o serviço sensacional da empresa Brockhaus Heuer. Os velhinhos tornos de bancada Brockhaus Heuer são restaurados e postos quase como novos. Uma destas PRECIOSIDADES passava perfeitamente despercebida na oficina do meu pai.

No âmbito de uma visita à vossa empresa, entreguei a "125er Heuer Front". Tentaram logo descobrir de que série / ano de construção era o torno de bancada. Veio a saber-se que era do ano 1973 e que era, além disso, uma variante interessante que e muito rara na forma e no modelo!

O estado geral do nosso torno de bancada era quase catastrófico: o fuso estava gasto, a chave do fuso estava deformada, nos dois mordentes estavam eternizados dois grandes cordões da soldadura elétrica, e o parafuso com que se conseguia reajustar a guia simplesmente já não existia. Também é preciso dizer que o torno - por já não ter revestimento de tinta - apresentava já bem mais do que eros sinais de ferrugem. Infelizmente, não captei a imagem deste estado desolador antes de ter entregado o torno.

Ao fim de apenas duas semanas (acompanhadas entretanto de documentação detalhada da parte da Brockhaus Heuer por e-mail) recebi uma encomenda com uma beleza que eu desconhecia!

Com um novo revestimento a pó, novo fuso, nova chave de fuso, cordões de solda removidos e parafuso de reajuste montado.

Os meus sinceros agradecimentos à empresa Brockhaus Heuer e aos eficientes colaboradores pelo seu extraordinário empenho com o meu velho "125"!

Isto sim, é serviço e amor ao produto!

Chris Schiffer, Krefeld

Quatro gerações

Ex.mos(as) Senhores(as),

Na página Inicial do vosso site com os relatórios de clientes Vi que estimam a vossa tradição e, por isso, também eu vou contribuir com a minha parte.

Era preciso desentulhar a garagem que já não era usada há anos e atulhada de tralha do meu bisavô falecido há 35 anos porque o terreno ia ser vendido. Entre outras coisas, estava este antigo torno de bancada. Todo ele era um monte de ferrugem coberto de sujidade. O carro abanava como a cauda de uma vaca e logo pensei que já não se podia usar aquela coisa.

Mas depois lembrei-me que talvez pudesse servir de objeto decorativo para a minha garagem de velharias. Enquanto pensava nisso, reparei que em baixo havia um orifício com que é possível aparafusar os dois lados do carro, pelo que talvez ainda se pudesse salvar (o parafuso ainda não tinha desaparecido, naturalmente).

Muito bem, mandei depois limpar o torno de bancada com jato de areia  e ele ficou novo em folha. Como cor, escolhi um vermelho escuro. Fiquei surpreendido quando surgiu em baixo uma assinatura. Ela já lá estava anteriormente, mas não se via por causa da sujidade. Então descobri na vossa página web que se tratava do vosso primeiro modelo de série, o Primus que foi comercializado a partir 1927 e que no original deve ter sido azul. Depois de inserido o parafuso que faltava, até é possível trabalhar com o Primus e fica muito bem como objeto decorativo. Eu não o teria realmente usado pois tenho ainda um outro torno de bancada grande na minha pequena oficina, mas como está na garagem, de vez em quando é usado. Além disso, tem um intervalo de fixação muito amplo pois o meu outro modelo não consegue acompanhá-lo.

E de alguma forma também é bom saber que neste torno de bancada já o meu bisavô e o meu avô trabalharam e que eu continuo esta tradição.

Melhores Cumprimentos
Markus Zindl

Qualidade e serviço

Acima de qualquer dúvida: Qualidade e serviço

Hoje tenho o prazer de escrever uma avaliação que o habitual cliché "Super contacto, sempre e a qualquer momento" não descreve, nomeadamente a atitude com o serviço prestado.

No início deste ano, realizou-se a renovação da minha velha e pequena oficina. A regra autoestabelecida foi: Conservar o charme antigo, e deste modo o máximo que vale a pena preservar.

Uma dessas coisas era, sem dúvida, o meu velho torno de bancada. Ligeiramente rugoso no fuso e de aspeto naturalmente já não muito fresco, mas devido à sua opulência material feita de uma única peça forjada e puro tamanho parecia simplesmente indestrutível. Comecei então a desmontá-lo. Reparei num ligeiro estrago na porca do fuso e um vedante do fuso com defeito. Ao procurar peças de substituição porventura ainda disponíveis (a esperança não era muito grande, pois duvidava que o torno tivesse já mais de 60 anos) fui parar ao fabricante, a Brockhaus Heuer.

Após um breve contacto por e-mail e a confirmação de que infelizmente já não estavam disponíveis peças de substituição devido à muita idade, para minha grande alegria ofereceram-se para recuperar o torno de bancada dentro do que fosse possível.

Uma pessoa minha conhecida encarregou-se do transporte para a Brockhaus Heuer, pois tinha acabado de se desfazer de um correspondente.

Entretanto, não tinham passado sequer 4 semanas quando recebi de volta o torno de bancada por transportadora (o peso ultrapassa os limites das encomendas postais ).

O meu primeiro pensamento depois de o desembalar: Deve ser um novo. Eu não esperava um tal resultado. Completamente retocado, tanto técnica como visualmente, parecia acabado de fabricar. Nenhuma folga no mordente móvel, nenhuma folga na cabeça do fuso e até o ligeiro arranhar do fuso tinha, simplesmente, desaparecido. A superfície brilhava num azul-escuro em perfeita sintonia. O torno de bancada é agora a "pérola" da minha velhinha e renovada oficina.

Só me falta acrescentar: A qualidade de um Brockhaus Heuer está acima de qualquer dúvida, a imagem global perfeita que resulta, no entanto, em união com uma assistência técnica como eu nunca tinha experimentado.

Para poder oferecer uma tal assistência em vez de preferir simplesmente vender um novo torno de bancada, é preciso amar e viver a sério o seu ofício e o seu produto e estar neles bem enraizado.

O meu louvor e um grande obrigado à empresa Brockhaus Heuer, ao Sr.Kloska pela estupenda comunicação e também ao funcionário, infelizmente desconhecido, que pelo resultado à vista dedicou um imenso empenho e esforço ao meu novo e velhinho torno de bancada.

Stephan Beinhauer

O oásis no deserto da assistência técnica

Excelente para a idade que tem

Nas décadas passadas, primeiro o meu avô, depois o meu pai e finalmente eu usámos o nosso idoso torno de bancada.

Para falar verdade, quis etiquetá-lo de "ferro velho" e pô-lo fora de uso. Com os anos, tinha já ganho uma folga visível.

No comércio especializado, na Leiwema em 04416 Markkleeberg, perguntei por um torno de bancada que tivesse essa alta qualidade.  Aí disseram-me que a Brockhaus Heuer era a "Mercedes“. Realmente caro, mas resistente para toda a vida.

O meu pai fez questão de conservar o seu velho e familiar torno de bancada.  Por isso, procurei primeiro no comércio especializado. Tinham já um certo conhecimento da matéria e indicaram-me a página de Internet da Brockhaus-Heuer. Depois de ter escrito um e-mail ao fabricante, propuseram-se a ir levantar o velho torno de bancada  pelo serviço de encomendas DPD, restaurá-lo e devolvê-lo. E assim foi.

Passado apenas um mês, recebi de volta o nosso idoso. Parecia que tinha recebido um novo. Tudo estava sem folga percetível e pintado na cor do fabricante. Nem o meu pai conseguia acreditar na sua sorte.
Agora, o velhinho está na bancada de trabalho (ver fotografia), juntamente com o seu novo par da produção atual.

A pessoa nem se atreve a usá-los de tão bom aspeto que têm.
Quero novamente agradecer imenso à Fa. Brockhaus-Heuer pela colaboração.

No referido deserto de assistência técnica da Alemanha, isto foi um oásis.

Maik Hermsdorf

A qualidade compensa sempre - mesmo após mais de 40 anos!

No ano passado, realizei finalmente o longo sonho de uma oficina própria com a especificação de que a ferramenta antiga e nova tinha de ser "Made in Germany“ ou "Made in Japan“. Na minha oficina, não ia entrar material de marca barata.

Tudo estava quase completo exceto um torno de bancada, que ainda faltava. Lembrava-me que ainda havia, algures na velha cave com mais de 100 anos, um torno de bancada que era tão antigo, ferrugento e ainda por cima com um  fuso arqueado que era impensável que tivesse em estado possível de funcionar. No entanto, parecia indestrutível e construído para a eternidade - exatamente Made in Germany.

Após alguma pesquisa, fiquei a saber que o torno de bancada era do meu avô que tinha trabalhado na Krupp como serralheiro.

A marca do fabricante estava ainda perfeitamente legível e então envies um e-mail à empresa Brockhaus Heuer, que, para minha felicidade, ainda existia. A resposta não se fez demorar e após algumas informações sobre o modelo e o ano de fabrico, ofereceram-se para restaurar o velho torno de bancada com mais de 40 anos.

Quando ao fim de aproximadamente 3 semanas abri a embalagem com o meu "novo" torno de bancada, primeiro pensei que me tinham enviado um modelo completamente novo, de tão perfeita que parecia a nova peça - a pintura era nova, o fuso tinha sido substituído e a mecânica funcionava sem resistência. Mas tratava-se do original dos anos 70.

Agradeço à empresa Brockhaus Heuer pelo excelente e rápido serviço - tenho a certeza que o e-mail para a próxima revisão vai ser escrito pelos meus netos.

Existem, naturalmente, alternativas a melhor preço, mas comprar barato significa geralmente pagar 2 vezes mais.

Sebastian Drüen, Duisburg

"Heuer Front significa a melhor qualidade e garantia de vida longa"

"Finalmente consegui um velho Heuer Front N.º 5. Heuer Front significa a melhor qualidade e garantia de vida longa até idade avançada.
Estou orgulhoso por ter encontrado um Brockhauser-Heuer Front. Faz-me lembrar os bons velhos tempos em que as pessoas fabricavam produtos de qualidade com poucos meios mas com muito trabalho manual e precisão."

Theo Lansink, Lansink Systeembouw, Saasveld, Holanda

Informação da Brockhaus Heuer:

O seu torno de bancada foi fabricado provavelmente em 1938. Trata-se de um HEUER PRIMUS, que nessa época custava 58 Reichsmark. Custaria 256 EUR. O salário mensal em 1938 seria cerca de 250-300 Reichsmark.

Muito satisfeito!

Primeira impressão depois de abrir a embalagem: Mão-de-obra alemã, maciça num só volume! Tudo muito bem processado, sem rebarbas ou arestas afiadas onde é possível ficar-se ferido, p.ex. escorregando. O fuso move-se suavemente e o mordente móvel não apresenta folga, deixa uma sólida impressão. O acabamento de pintura remata em beleza a impressão geral.

Possibilidades do torno de bancada:
Fixação das peças a trabalhar entre os 2 mordentes
Fixação de peças redondas entre os mordentes de tubo
Trabalhar no *Amboss traseiro

Avaliação do manuseio - relação com o projeto

Primeiro, os materiais foram cortados ao comprimento. Graças aos dentes ásperos/profundos dos mordentes, num processo de corte e num rebarbamento as peças não escorregaram e apresentaram uma boa aderência. Depois de desenhar os furos, granulei as fendas. Uma vez feita a fixação entre os mordentes e por trás do Amboss do torno de bancada, as duas coisas funcionaram bem.

Agora era preciso arquear o aço redondo 90° graus.
Para isso, fixei o pedaço mais curto, para usar o mais comprido como alavanca. Dirigi o aço na direção do mordente fixo. Após 4 aços redondos, só lascou alguma tinta, mas não se via desgaste da superfície.

Conclusão
Estou muito satisfeito em tudo com o produto de teste e terei muito gosto em usar outras possibilidades para o torno de bancada.
O que poderia ainda ser melhorado seria o aumento do *Amboss, pois com peças um pouco maiores o apoio não é completamente suficiente. Também é bom ver que só a partir de aprox. 70 mm a rosca do fuso começa/aparece. Isto deve-se à *porca na parte mais traseira do torno de bancada. A vantagem é, por exemplo em trabalhos de corte de rosca, as aparas não serem transportadas através da rosca e não poderem provocar danos. Ainda a acrescentar que o torno de bancada dispõe de chapas de cobertura para a frente e para trás.

 

Fonte:
http://werkzeuge.info/2013/08/testbericht1-brockhausschraubstock/

Operador da página webs:
www.svh24.de

Peças de substituição após mais de 40 anos

É realmente fantástico ainda receber peças de substituição para uma peça com mais de 40 anos! E com tanta rapidez e sem burocracia!

Ainda existem coisas assim…

Muitíssimo obrigado!!!

Saudações,
T. Sulzbeck

Posso recomendar o torno de bancada a qualquer pessoa.

Relatório de teste
Quando o carteiro trouxe o pacote com o torno de bancada, fiquei surpreendido com o peso. A primeira coisa que pensei foi que a peça era realmente maciça, o que se confirmou depois de abrir. O torno de bancada é feito numa só peça e tem um ar muito ordenado. Um primeiro exame revelou que curso do fuso está bem transmitido e os mordentes fecham perfeitamente. Fiquei positivamente surpreendido por o torno de bancada possuir mordentes de tubos.

Trabalhos que efetuei nos dias seguintes:
Depois de ter montado o torno na minha bancada de trabalho, a primeira coisa que fiz foi testar os mordentes de tubos. Fixei alguns tubos e cortei roscas para uma junção destinada a instalação e curvatura. Depois vedei e aparafusei as peças de junção. Os mordentes de tubos aguentaram-se muito bem.

 Na minha atividade seguinte, levei o torno para a obra em casa do meu e montei-o no meu companheiro de trabalho. Tinha de instalar aí uma caleira de 5 metros. Para isso, tinha de arquear os suportes para a caleira. Fixei-os no torno de bancada para poder arquear de forma adequada.
Com um martelo de borracha, bati-a no ângulo certo. Os mordentes do torno aguentaram-se muito bem. Também os ferros planos aguentaram muito bem, embora tenha podido fixá-los apenas num só lado.

O torno de bancada tem um bom espaço livre para trabalhar e o fuso tem um funcionamento suave é bem protegido para não chegarem aparas à porca de rosca.

A pintura azul do martelo resistiu bem a todos os trabalhos e não ficou lascada.

Conclusão:
Posso recomendar o torno de bancada a qualquer pessoa.

Karlheinz D.



Fonte:
http://werkzeuge.info/2013/08/brockhausschraubstocktestbericht2/

Operador da página webs:
www.svh24.de

O melhor torno de bancada

Para mim, o torno de bancada forjado Heuer é o melhor do mercado, muito copiado mas sempre sem êxito.

É robusto, guiado com precisão, tem possibilidade de reajuste e insensível a pancadas. Tive vários modelos como Heuer D.R.P. , Heuer Primus ou Heuer Front em diferentes tamanhos e modelos desde 1935 até aos nossos dias e todos estão ainda em ótimo estado tal como é próprio desta qualidade. Aplica-se aqui corretamente o "Made in Germany". Também a assistência da Heuer é incomparável, inclusive para estas velhas preciosidades. Compra-se um torno uma única vez na vida e ainda se pode deixá-lo como herança. Obrigado pelo excelente serviço.

M. Cumprimentos, C. Faßbender

"Serviço ao cliente de primeira classe"

Ex.mo Sr. Kloska,

Recebi a mala nesta semana e desejo novamente agradecer muito reconhecido pelo vosso serviço ao cliente rápido e de primeira classe! Desejo-lhe, a si e aos seus colegas, um bom fim-de-semana.

Melhores cumprimentos
Eng. Patrick Wolter
Varese, Itália

 

Uma clara recomendação de compra!

A primeira impressão: Uau, uma verdadeira categoria, processamento sólido. Nota-se logo isso pelo peso da embalagem.

Primeiro, fixei parafusos M12x45 DIN 931 + porca M10 e arruelas devidamente no torno de bancada e tudo o resto seria absurdo pois ele assenta de forma super firme, quando muito quem quiser pode colocar arruelas elásticas por baixo.
Após cuidadosa escolha do sítio, o torno de bancada já parece montado:

É preciso assegurar-se de espaço suficiente e a superfície de montagem deve estar limpa, seca e estável, para se poder trabalhar de forma razoável.
Trabalhar com o torno de bancada Brockhaus Heuer 120:
É preciso um apoio realmente muito bom do lado do torno de bancada. Experimentou-se desprender uma velha válvula de retorno com assento fixo de uma união roscada de uma bomba de águas subterrâneas e para isso utilizei força de alavanca.

Notou-se aqui a assento perfeito e fixo do mordente de tubos

Resultado final: 

A válvula de forte assento fixo pôde ser retirada facilmente com o torno de bancada, que foi aqui uma grande ajuda.

Conclusão: Nunca mais quero perder o torno de bancada Brockhaus Heuer 120, esta é uma clara recomendação!!!

Mais propriedades gerais e descrição de produto desta ferramenta verdadeiramente espetacular
Brockhaus Heuer 120 com mordentes de tubo forjados:

• em aço forjado
• inquebrável
• grande possibilidade de fixação profunda
• apoio de fuso de precisão protegido e fuso encapsulado com rosca trapezoidal de duas entradas
• guia cêntrica fácil de reajustar
• superfícies de guia grandes e maquinadas em todos os lados
•superfície resistente a riscos e pancadas graças ao revestimento a pó

Descrições dos produtos:

• com mordentes de tubo forjados
• em aço forjado
• inquebrável
• grande possibilidade de fixação em profundidade
• apoio de fuso de precisão protegido e fuso encapsulado com rosca trapezoidal de duas entradas’
• guia cêntrica fácil de reajustar
• grandes, em todos os lados


Fonte:
http://werkzeuge.info/2013/08/schraubstocktestbericht-saschaoldiges/

Operador da página webs:
www.svh24.de

Elevador(es) rebatível(eis) Heuer

Ao fim de mais de 30 anos precisei de molas novas para os meus elevadores rebatíveis.

Como entretanto tinha sido escolhido um outro tipo de fixação para as molas, eram precisas modificações nos elevadores. O Sr. Kloska apresentou-me o orçamento para esta conversão. Os elevadores foram embalados, enviados e uma semana depois estava a recebê-los de volta. 

Conclusão: trabalham com muita simpatia, rapidez e primeira classe.

Fiquei verdadeiramente impressionado com este serviço. Uma coisa só experimento muito raramente!!!

Melhores Cumprimentos enviados de Berlim e tudo de bom

Christian Mücke

Trabalho de boa qualidade alemã

Ao desembalar o torno de bancada, fiquei imediatamente convencido pela qualidade alemã. Os mordentes de tubos estão totalmente montados e perfeitamente processados. O carro corre sem solavancos.

A única desvantagem: Em peças grandes, a rosca de aparafusar está livre e, dependendo da maquinação, pode sujar as peças. Isso pode fazer com que o carro se mova com mais dificuldade.

A minha sugestão: O melhor é limpá-la sempre com um pincel ou uma escova.

O meu projeto: Restauro de uma antiguidade

Em primeiro lugar, fixei o suporte de um guarda-sol para fletir a sua base, pois na próxima primavera vai ficar ancorado no solo.

A seguir, fixei os suportes de piscas do meu automóvel antigo. 
O torno Heuer aguenta-se fabulosamente no sítio mesmo com uma ligeira compressão. As peças cromadas não ficaram destruídas nem riscadas. Assim, pude desamolgar as mossas.

Conclusão:
O torno de bancada vale realmente o dinheiro, é mesmo um “trabalho de boa qualidade”alemã. Vou recomendá-lo a todos os “amigos que trabalham com parafusos”.

 

Fonte:
http://werkzeuge.info/2013/09/brockhaus-heuer-schraubstock-testbericht-nr-4/

Operador da página webs:
www.svh24.de

Uma luz na escuridão

Muitíssimo obrigado a si e aos seus colegas que deram um novo esplendor ao meu velho tesouro!

Quem achar que encontra no nosso segmento uma empresa que consiga concorrer convosco, só em termos de assistência técnica, deve ser um verdadeiro otimista.

A reparação de grande categoria ficou perfeitamente finalizada com o envio de um prospeto de tornos de bancada do ano 1938 (!). Já conheci empresas que não encontraram documentação de dois dias anteriores.

A vossa empresa é felizmente a luz na escuridão de uma sociedade de desperdício.

Por isso, numa escala de 10 valores, dou-lhes nota 12!

Melhores Cumprimentos e continuem sempre assim!

Ralf Müller

Uma ferramenta para toda a vida!

Sempre que vacilava em relação ao meu "Heuer torno de bancada" de estimação com 40 anos, lembrava-me que quanto já tínhamos feito os dois. Ele já não estava muito bonito mas ainda continuava a funcionar, mesmo quando o fuso se movia com uma certa dificuldade. Eu estava prestes a oferecê-lo e comprar para mim um novo torno de bancada. Ao pesquisar informação em www dei conta da "preciosidade" que eu tinha.

Enviei então um e-mail a Brockhaus Heuer a perguntar se seria eventualmente possível fazer-se uma revisão ao torno. Anexei ao e-mail uma fotografia do estado em que ele estava. Pouco tempo depois recebi também a resposta pronta de que tinham muito gosto em cuidar do meu torno de bancada. O meu grande obrigado ao Sr. Grabinski e ao Sr. Kloska da Brockhaus Heuer pela agradável comunicação, o excelente trabalho e por um tal serviço!

Hoje, quer dizer, ao fim de aproximadamente de 2 semanas, ele regressou da Brockhaus Heuer! Reluz num novo azul de revestimento a pó aplicado a martelo e parecia acabado de fabricar. ISTO é qualidade! Estou absolutamente entusiasmado e muito feliz por tê-lo conservado. Uma verdadeira ferramenta para toda a vida! Talvez daqui a 40 anos volte a ser enviado para restauro….

Elmar Kotzam

Tornos de bancada HEUER Front e Primus

Durante anos tive de trabalhar com um terrível torno de bancada "sem nome". Tinha uns mordentes tão imprecisos que devido à folga não se ajustavam nem havia sequer uma guia reajustável. Ficava preso em qualquer posição.

Heuer Front mit auswechselbaren BackenNeste ano, precisei mesmo de algo de novo na minha pequena oficina e decidi-me pelo torno de bancada HEUER Front, com mordentes intercambiáveis, de 120 mm. Adquiri também o respetivo prato giratório, pelo que o "novo" foi anda um pouco mais além. É um prazer trabalhar com este torno. Serve na perfeição.

Depois de muita indecisão, quis equipar a minha oficina e então tive a ideia de integrar o que era antiga. Procurei algo adequado nos jornais locais, e na Internet e tropecei no torno de bancada Heuer Primus, com uma largura de mordente de 100 mm. Este provocou-me logo uma agradável impressão. Após alguma pesquisa, reparei que a peça já tinha alguns anos e que a sigla DRP significava Deutsches Reich-Patent (Patente do Deutsches Reich). Desconfio que a minha antiguidade tenha sido construída em 1940.

Heuer PrimusRecebi esta antiguidade neste estado negligenciado. Dirigi-me à empresa Brockhaus HEUER GmbH e perguntei se podiam restaurar o torno de bancada mediante pagamento. A resposta veio rápida, informando que podia enviá-lo, observariam o que se podia fazer e eventualmente o poderiam restaurar.








Heuer Primus restauriertEste é agora o estado restaurado, um torno de bancada Heuer Primus, simplesmente irreconhecível. A Brockhaus HEUER GmbH efetuou um restauro espetacular.
Agora só é preciso procurar um local de trabalho adequado. Na verdade, +e realmente uma pena.

Segundo informações do Sr. Grabinski, esta linda peça foi construída entre 1925-1938 e o preço era nessa ocasião 27 RM, hoje cerca de 113 €. O peso é cerca de 8,7 kg.

Encontrou-se um sítio apropriado junto do "novo“. Além disso, nas imagens também se pode ver como a tecnologia mudou ao longo de 75 anos.
Um grande obrigado à empresa Brockhaus HEUER GmbH, especialmente ao Sr. Grabinski e ao colaborador que arranjou a minha antiguidade de forma tão espetacular.
Cordiais saudações de Ostfriesland e tudo bom para o vosso futuro.

Friedhelm Eberlei